neuf

Quero que cases comigo. Que cases com o meu riso sonolento, com os meus complexos e os gostos exóticos. Que te sintas bem num ninho de andorinhas; que ames a Primavera e o sol de Março e os jardins teus, de amores-perfeitos. Quero que cases comigo. Na pele. Que consumas todo o meu corpo, como em tantas luas o fazes, e que me amarres, sem que queira fugir. 
Por isso, quero que tenhas tudo o que me cai dos bolsos: um brinco, um bombom ou um amor-perfeito – redondinho e aveludado, como o amor-perfeito tem de ser –, todas as arcas de tesouros que guardo no peito e na memória. 
Quero-te como quero a própria vida e anseio da tua saliva todo o amor que guardaste para mim, Quero-te nas minhas veias e no meu ventre e nas pontas dos dedos e quero-te assim, sem fim, total, loucamente. 
Amo-te mesmo.

6 comentários:

Jessica disse...

Ler-te assim, tão menina e certa, aqueceu-me o coração que estava frio hoje. Oh esse amor, Alice. Nesse amor cabe o mundo.

nês disse...

Que amor mais quentinho, amoroso!

Mariana disse...

tanto amor, tanta coisa bonita e cheia de carinho... Adoro ler amor, adorei!!

um beijinho

flávia disse...

alice, preciso do teu email para privar o meu blog a leitores. perdoa esta aus~encia demorada. uma estrela para ti

disse...

oh está tão amoroso isto aqui, já tinha saudades de te ler:)

Iolanda disse...

também eu tinha saudades de te ter por lá, no meu cantinho. obrigada querida Alice! tenho andado longe disto tudo, prometo tentar voltar..
e já agora, este texto é de uma doçura maravilhosa que nos abre um sorriso nos lábios. um beijinho

Enviar um comentário

Quando lia contos de fadas, eu imaginava que aquelas coisas nunca aconteciam, e agora cá estou no meio de uma! Deveria haver um livro escrito sobre mim, ah isso deveria! E quando for grande, vou escrever um...
L.C.